Cuidados específicos das chinchilas

Nesta seção do site Chinchilapet.com, você encontrará informações importantes sobre os principais cuidados que são específicos para o chinchila:

- Cuidado principal: Temperatura

- Desgaste dos dentes

- Alimentação específica

- Gaiola / Ambiente: melhor opção

- Higiene


- Adaptação

- Reprodução

- Enfermidades

---------------------------------------------------------------------------------------------

 Cuidado principal: Temperatura

Chinchilas não toleram temperaturas altas. Acima de 28 graus já correm risco de morte. Portanto, atente para que a temperatura do ambiente esteja entre 18 e 25 graus Celsius. O maior perigo vai além da temperatura que marca o termômetro: cuidado com a sensação térmica! 


Deixe a gaiola da sua chinchila no ambiente mais fresco (porém não úmido) da sua casa, longe das janelas ou onde possa haver incidência de raios solares. Evite locais com muitos aparelhos elétricos, pois eles por si só dispendem calor, tornando o ambiente quente. 

Providencie ventiladores, circuladores ou ar condicionado para manter a temperatura do ambiente adequado. Não há problema em deixar o ventilador próximo à gaiola. Deixe no congelador garrafas pet com água congelada para disponibilizar um vento refrescante ao colocar a garrafa em frente ao ventilador/circulador (coloque a uns 40 cm de distância do ventilador e não esqueça de colocar um pano embaixo da garrafa pet para absorver a umidade que irá formar-se).

As placas de pedra de mármore ou granito no chão da gaiola também ajudam os chinchilas a refrescar-se. Eles adoram deitar sobre as pedras nos dias quentes.

Há projetos na internet para fazer gaiolas 'térmicas', fazendo uma extensão na  gaiola, um tipo de corredor com acesso à uma pequena gaiola mantida em caixa de isopor com garrafa pet mantendo a temperatura. 

Clique aqui: resources/Roteiro toca climatizada.pdf para saber como fazer uma toca climatizada (arquivo em .pdf com 4.5MB para carregar).

Não deixe seu chinchila sofrer um estresse calórico: evite atividade física, manuseá-lo ou transportá-lo nos dias e horários mais quentes!

Você poderá oferecer ao seu chinchila pequenos pedaços gelados de frutas tais como maçã, pera ou  melancia. No máximo dois pequenos pedaços ao dia, pois além disto pode provocar problemas digestivos alterando a aparência das fezes.

Dica: providencie um ventilador ou circulador de ar para uso comercial. Amigos meus tiveram incêndio em suas casas devido ao uso constante  de ventiladores durante os dias quentes. Tomem cuidado, não arrisque a vida de seus pets e familiares! Utilize equipamentos elétricos com cuidado.

>> Clique aqui para ir ao topo da página <<

---------------------------------------------------------------------------------------------

Desgaste dos dentes

Uma característica que não deve ser ignorada nos chinchilas é o crescimento constante dos dentes.  

Para evitar a má-oclusão devemos promover o desgaste dos dentes fornecendo alimentação adequada (ração firme e alfafa em cubos) e brinquedos ou acessórios de gaiola produzidos em madeira pinus não tratada quimicamente. Visite a seção "Para chinchilas" e veja as fotos de produtos específicos para chinchilas: tudo-para-chinchilas.php

O hereditário crescimento desordenado dos dentes, o crescimento alterado de um dente quebrado num acidente ou ainda a descalcificação (causada por partos consecutivos) podem causar a má-oclusão dentária.

Sintomas iniciais: dentes incisivos curvados para dentro. Procure rapidamente um veterinário antes que seja tarde!

Sintomas em fase avançada: chinchila babando, não consegue mastigar a comida causando desnutrição, lacrimejando (o dente pode pressionar a órbita ocular).

Tratamento: na fase inicial o tratamento mais comum no caso dos dentes incisivos é o corte dos dentes e no caso dos molares, os veterinários lixam. Se estiver em fase avançada, às vezes (e infelizmente) é necessário praticar eutanásia. 

Por isto, não descuide da saúde dental do seu chinchila!

>> Clique aqui para ir ao topo da página <<

---------------------------------------------------------------------------------------------

Alimentação específica para Chinchila

Alimentação básica

Deve-se alimentar a chinchila com:
  1. Ração peletizada (em pellets) de boa qualidade específica para chinchilas
  2. Alfafa em cubos ou em ramas
  3. Suplemento alimentar, principalmente as que estiverem em reprodução
  4. Água fresca sempre à disposição.

Primeiramente não esqueça de olhar a data de validade!

O consumo médio de um chinchila adulto é de 1kg de ração e 300g de alfafa prensada ao mês. 

A ração deve ser fornecida 40g ao dia, preferencialmente dividida entre a manhã e à noite. Geralmente como medida utilizamos um potinho de filme fotográfico. Se você pedir em uma loja de revelação de fotos, normalmente não irá pagar nada por um potinho. Evite comprar ração de chinchilas que contenham aparentemente os grãos inteiros de milho, amendoim e sementes de girassol. Isto não é bom para a saúde delas. Nem escute quando o vendedor disser: "Ah, essa é mais variada, é mais completa!". Não!!! É como se você estivesse alimentado sua chinchila com lanches rápidos e elas irão adorar. É gostoso? Sim, delicioso. É saudável? Definitivamente não! Vamos cuidar direitinho de nossas chinchilas e proporcioná-las uma vida longa e saudável. Além disso, rações com estes grãos oleaginosos faz com que eles fiquem mais seletivos, deixando os pellets de ração de lado. 

Ofereça um cubo de alfafa ou um punhado de ramos de alfafa a cada 2 dias. Durante a compra da alfafa sempre escolha a mais fresca e mais verde. Veja também se não está mofada. Uma vez que a alfafa é verde, realmente é mais difícil identificar os fungos, por isso preste muita atenção neste detalhe! A principal função da alfafa é a de melhorar a digestão.

Tanto a ração quanto a alfafa irão garantir o desgaste dos dentes. Por este motivo, além da ração dever conter os nutrientes essenciais para uma chinchila, deve ter a consistência suficiente para garantir o desgaste dos dentes. A alfafa em cubos é mais eficiente para o desgaste do que a em ramas, porém, sendo em cubos ou ramas, mantenha alfafa sempre disponível na alimentação!

O suplemento também é importante na dieta das chinchilas, principalmente as que estão em reprodução: casais formados, fêmeas em fase de gestação ou pós-parto. Ao comprá-lo observe se não há presença de bichinhos, pequenos besouros. Por possuírem em sua composição vários cereais, é comum acontecer. Caso aconteça, avise imediatamente ao responsável pelo petshop, ele deverá solicitar a substituição perante o fornecedor. Dê meio potinho de filme (10g) alternando com a alfafa.

Dicas: 

- A alfafa pode ficar sempre disponível para a mamãe que acabou de dar à luz, auxiliando na produção do leite para seus bebês.

- Há ótimas rações disponíveis no mercado para nossos queridos pets como a ração da Chillán, a ração Ceze comercializada pelo site da Chinchilândia, a ração Supra comercializada pelo site do Clube da Chinchila e a importada Vitakraft. Essas rações foram elaboradas após anos de estudos na criação de chinchilas e são continuamente aprimoradas oferecendo os nutrientes necessários para os chinchilas. São vendidas em vários tamanhos para adequar-se ao tamanho de sua criação.

Guloseimas

São aceitas na dieta da chinchila:

  • uva passa no máximo uma vez por semana para evitar cáries
  • maçã desidratada no máximo uma vez por semana (um pedacinho).
  • pedaço pequeno (1cm) de frutas frescas como maçã, pera, banana, também uma vez por semana e uma por vez (não vá dar maçã, pera e banana tudo num dia!). Por serem úmidas talvez você note alteração na consistência das fezes, que ficarão menos sólidas e mais úmidas.

---------------------------------------------------------------------------------------------

 Ambiente / Gaiolas / Viveiros

Começamos este tópico já com um alerta: por favor, evitem comprar gaiolas que tenham plataformas, escadas e fundo de grade. Apesar dos fabricantes construírem gaiolas específicas para chinchilas, é comum que venham com grades. Houve uma certa evolução quanto a isto e hoje a maioria das gaiolas para chinchilas não possuem as terríveis grades. Caso seja inevitável comprar uma gaiola que as possua, providencie a retirada e substituição o mais breve possível. Tire o fundo, as plataformas e escadas de acesso, substituindo por plataformas (de madeira ou chapas de metal) e tocas dispostas em locais estratégicos para que sirvam de escadas e apoio. Há lojas especializadas que aceitam encomendas de plataformas de madeira sob medida, feitas de pinus não tratada quimicamente.

Nada de usar gaiola de passarinho ou de hamster! As coelheiras possuem maior espaço entre grades, o que não é recomendado para chinchilas prontas a darem à luz, pois os filhotes facilmente passarão por elas. O espaço entre grades ideal para a criação de chinchilas é de 1,7cm. Prefira sempre as gaiolas específicas para chinchilas. Por serem roedores, indicamos gaiolas de metal (aço galvanizado ou níquel). Construções de madeira e plástico não são adequadas. Cuidado com as pinturas que utilizarem tintas tóxicas.

Dúvidas quanto ao tamanho da gaiola?? Deve-se levar em conta a lotação, ou seja, quantas chinchilas você pretende colocar na gaiola. Para uma única chinchila recomendo no mínimo uma gaiola L35cmXC55cmXA70cm. Para um casal, recomendo no mínimo uma gaiola L50cmXC50cmXA70cm. Acho que estas medidas são ideais pois ao colocar as tocas e os acessórios (pontes, balanços, casinhas) perde-se consideravelmente o espaço interno. Não há dúvidas de que quanto maior conforto que puder oferecer a elas, melhor! ;-)

Fique atento também às bandejas de metal mal fabricadas, que podem conter partes cortantes, assim como as grades mal-acabadas.

Devido à dificuldade em encontrar gaiolas mais seguras, decidi adaptar algumas gaiolas minhas que estavam encostadas devido à falta de segurança. Ficaram muito boas e meus chinchilas aprovaram! Caso alguém tenha alguma dessas em casa e queira que eu faça uma adaptação semelhante, entre em contato! Aceito serviços de adaptação (não faço a pintura, somente retiro as grades e coloco os acessórios de madeira ou chapa de metal galvanizado).

Dica: fique atento à altura da gaiola. Existem gaiolas altas, que passam de 1m de altura... Deve-se tomar cuidado, não se esqueça: quanto maior a altura, maior a queda. Evite deixar filhotes em gaiolas deste tamanho.

Coloque a gaiola num local arejado e no local mais fresco da casa. Não pode ficar sob o sol direto. CHINCHILA NÃO TOMA BANHO DE SOL!

Não se esqueça de colocar dentro da gaiola os itens básicos: comedouro, bebedouro e a toca. A toca pode ser feita de metal ou madeira de pinus não tratada quimicamente, para que ele possa abrigar-se. A toca é muito importante: é como se fosse o seu quartinho, o seu refúgio, e ele sentirá mais segurança, mais proteção.

Forração

Temos várias opções para a forração (cama) das gaiolas:
  • Serragem de madeira não tratada quimicamente e sem cheiro, aproximadamente 3 cm de altura na bandeja. Troque a serragem no máximo a cada 5 dias, que é o período em que o cheiro de urina começa a se manifestar;
  • Corn Cobs;
  • Areia higiênica sem odor: não deve ser específica para gatos. Verificar na  embalagem  se  também  pode  ser  utilizado  para  outros animais, como pequenos roedores. Forre a bandeja com 2cm de altura de areia e troque a areia a cada 7 dias. Caso decida ir trocando aos poucos somente onde ela faz xixi, o restante da areia você pode trocar a cada 10 dias;
  • Pellets higiênicos: novidade no mercado, possui o infeliz formato  das ações para chinchilas (pellets), o que realmente atrai  e confunde.  Em minha   criação,   foram    imediatamente    consumidos    e,    portanto, imediatamente retirados.

>> Clique aqui para ir ao topo da página <<


Passeios 

Um dos momentos mais aguardados do chinchila é a hora do passeio. Tente sempre fazê-lo no mesmo horário e com a mesma frequência. Verá que ele irá acostumar-se a esperá-lo!

A chinchila deve ser solta em um cômodo que não ofereça nenhum risco de acidente, tais como: fios elétricos expostos, objetos cortantes, fendas, buracos, sacadas, escadas, varandas, janelas, vaso sanitário, ralo, bacia com água, outros animais predadores, pessoas que podem pisoteá-lo, temperatura elevada, alta umidade. Você pode sentar-se ao chão e esperar para que ele venha até você. Se ele sentir-se à vontade com sua presença, ele irá andar por cima das pernas, talvez até subir no ombro. Mas não deixe que ele suba em sua cabeça. Geralmente ele o faz com intenção de saltar para cima e... saltando para cima o risco de fraturas ou luxação é muito alto. 

Nos primeiros passeios, evite gritar, espirrar ou tossir para não assustá-lo e ganhar sua confiança mais rapidamente.

Jamais deixe o chinchila solto sem supervisão. Por ser roedor e exímio saltador (utilizando o ambiente a seu favor, ele costuma rebater em móveis ou outros objetos impulsionar o salto), o risco de acidentes é alto. Ouvimos relatos onde facilmente envolve-se com fios elétricos (roendo até chegar aos fios de cobre), salta dos móveis, chega a subir em guarda-roupas, pular sacadas ou cair dentro do vaso sanitário. Um chinchila chega a saltar 70cm facilmente em qualquer direção! 

Por isso tomar cuidados básicos como tampar o vaso sanitário colocando algo de peso em cima (sim, já ouvi dizer de chinchilas entrando no vaso com a tampa fechada!), erguer os fios elétricos próximos ao chão, tampar o ralo ou qualquer outro buraco em que ele possa enfiar-se, retirar recipientes com água onde possa afogar-se, retirar objetos cortantes do local, retirar pequenos objetos que ele possa quebrar ou roer, retirar plantas... e tantas outras providências. Enfim, é muito importante protegê-lo deste ambiente tão estranhamente perigoso para ele. É de nossa responsabilidade evitar para que nosso querido animal de estimação sofra acidentes. Facilitar para que ele se acidente é algo que não deve ser feito!

Vamos lembrar que o passeio jamais deve ser feito em dia quente (mesmo que seja em local fresco, como no banheiro, por exemplo) e evite deixá-lo solto por mais de 1 (uma) hora: atividade em excesso pode provocar estresse calórico!

Dica 1: chinchilas não são pássaros com asas cortadas. Evite andar pela casa com o chinchila empoleirado nos ombros! 

Dica 2: geralmente indicamos o banheiro como sendo um local interessante para o passeio de um chinchila, já que o local geralmente não possui fios elétricos, nem móveis em madeira que possam ser roídos e é o local mais  fresco da casa. Não se esqueça de fechar a porta e janela e retirar a umidade do banheiro, secando o chão. Retire o cesto de lixo e qualquer outra coisa em que ele possa entrar, principalmente contendo água. Guarde os pequenos objetos, principalmente os cortantes. Ele irá facilmente chegar até a pia. Obviamente, fique com ele o tempo todo do passeio e dê-lhe chamadas de atenção quando for tentar saltar para algum local que julgue perigoso.

---------------------------------------------------------------------------------------------

 Higiene

Uma chinchilla limpa é uma chinchilla feliz!

Não dê banho com água!!! Dê banho de pó de carbonato de cálcio (malha 100) no mínimo 3 vezes por semana. Quanto maior o grau de umidade da região em que ela será criada, aumenta a frequência dos banhos às vezes sendo necessário o banho uma vez ao dia. A chinchilla adora banhar-se e sentirá revigorada! Além do pó para banho, algumas marcas disponibilizam uma areia de granulação fina, para evitar a suspensão do pó pelo ar. O pêlo ficará limpo e brilhante. 

Há de manter a gaiola dos seus chinchillas sempre de forração limpa para evitar o mau-cheiro e a umidade excessiva que pode provocar o surgimento de fungos. Apesar do chinchilla não exalar um cheiro forte como o hamster, se você demorar a trocar, um cheiro de urina e fezes será exalado pela forração. Recomendamos a troca da forração uma ou duas vezes por semana no caso da serragem e no caso de areia higiênica, de 7 a 15 dias.

Limpe os comedouros pelo menos uma vez por semana, tirando o pozinho que fica aderente ao fundo e nas bordas. Lave os bebedouros com água quente.

Os comedouros e bebedouros devem ficar fixos à gaiola para evitar disperdícios ou que urina e fezes misturem-se aos seus conteúdos. O chinchila bagunceiro fará de tudo para tentar arrancar o comedouro ou derrubar o bebedouro, por isto, fique atento!

Lave a bandeja de metal pelo menos uma vez por mês. A maioria dos criadores aconselha vinagre diluído em água (uma colher de sopa para um litro de água) ou um desinfetante veterinário, como o Herbalvet (não se esqueça de diluir em água, é muito forte!).

Se for plástica, é recomendado que se lave sempre que trocar a forração, utilizando água e sabão de coco ou detergente neutros.

>> Clique aqui para ir ao topo da página <<

---------------------------------------------------------------------------------------------

 Adaptação dos Chinchilas


Entre o chinchila e seu novo dono, sua nova casa: 
Nos primeiros dias em sua nova casa, será comum que seu chinchila emita um grito de alerta. Neste link, você encontrará a gravação deste som: resources/AlertaFluka.mp3. O grito de alerta é emitido toda vez que ele sentir-se inseguro, seja um chinchila já adaptado e que seja colocado em algum local novo (mudá-lo de cômodo da casa), algum objeto novo que você tenha colocado próximo à ele (casaco, guarda-chuva, bolsa), algum som/cheiro diferente no ambiente de costume e principalmente, quando acabar de chegar em seu novo lar.
Contarei como faço as adaptações com os meus chinchilas. Procuro antes de mais nada ganhar sua confiança. Ao contrário de muitas pessoas que já querem agarrar o chinchila, ficar com ele no colo, colocar roupas (rs) e vê-lo passeando pela casa logo no primeiro dia, prefiro deixar essas coisas para mais tarde, somente quando eu sentir que ele está mais à vontade comigo e com a casa. Forçá-lo a fazer as coisas simplesmente fará com que ele fuja de você soltando um tufo de pêlos a cada vez que agarrá-lo à força.
Eu nunca solto os chinchilas antes de tê-los no mínimo 30 dias no novo lar, ao meu contato.

Entre chinchilas:
A adaptação entre chinchilas deve-se única e exclusivamente devido ao cheiro delas. Se acostumarem ao cheiro de seu companheiro/a, é praticamente certo o sucesso de adaptação. Porém fica um alerta: pode acontecer de duas chinchilas não adaptarem-se, correndo o risco de criá-las em gaiolas separadas. 
Segue as adaptações entre os chinchilas, dividida por casos:

- Entre filhotes: a adaptação entre filhotes costuma ser mais tranquila. PORÉM um filhote fêmea não pode ser colocado com um macho antes que ela complete 7 meses de idade. Somente a partir dos 7 meses ela estará com o organismo desenvolvido para começar a procriar. No caso de querer adaptar um casal desde cedo, por segurança o filhote macho deve ser 4 meses mais novo que o filhote fêmea. Ou seja, no caso do filhote macho ser desmamado aos 2 meses, a fêmea já deve ter 6, o que dará uma margem de segurança para que ela atinja sua maturidade sexual quando o macho completar 3 meses (idade em que os chinchilas podem começar a procriar, porém ainda são muito novos).
Coloque cada chinchila numa gaiola e inicie a fase de troca de gaiolas: você terá de deixar de trocar a serragem por alguns dias, esperando ao menos 2 dias após a troca da maravalha da gaiola para que esta fique com o odor do chinchila para dar inicio ao processo de adaptação. Troque os chinchilas de gaiola e mantenha-os por 2 dias. Depois destroque e mantenha por 2 dias. Troque novamente e mantenha-os por mais 2 dias. Após estes 6 dias, solte-os juntos, colocando uma gaiola de frente para outra deixando-os explorar as duas gaiolas juntos. Abra as portas das duas gaiolas e com as mãos, evite que os chinchilas saiam da área interna das gaiolas. Veja a reação deles. Se for algo positivo, tente colocar os dois numa gaiola só. Se brigarem, separe. Se ficarem bem, deixe-os e os supervisione para que possa separar se necessário. Você pode, por segurança, juntar por apenas algumas horas e depois voltar cada um à sua gaiola. Fazer a troca de gaiolas após 2 dias e tentar juntá-los novamente por algumas horas até que se sinta seguro para deixá-los juntos por um dia inteiro. Faça isto preferencialmente num dia que esteja o tempo todo em casa para eventuais emergências.

- Entre adultas/casal): as chinchilas adultas geralmente levam um período maior para adaptarem-se. Para o processo de adaptação você vai precisar de duas gaiolas, sendo que as duas devem ter comedouro e bebedouro. A adaptação geralmente é longa e pode acontecer de nunca conseguir juntá-las, por isso é bom que seja duas gaiolas de bom tamanho para haver possibilidade de criá-las separadas.
Coloque cada chinchila na sua gaiola e coloque uma gaiola próxima à outra, porém não grudadas para evitar acidentes. Chinchilas são naturalmente agressivas diante de outra chinchila, podendo ocorrer a perda de dedinhos das mãos nas brigas ou outras consequências. Porém, vamos preservar os dedinhos de nossas chinchilas, mantendo uma distância de aproximadamente 10cm.
Quando notar que não estranham mais a presença da outra (pode levar dias), tente colocar as gaiolas bem juntas mesmo, a ponto de ficarem 'grudadas'. Faça isto num final de semana que esteja presente e possa separar as gaiolas se necessário. Deixe alguns dias assim. 
Em seguida, comece a planejar passeios 'coletivos'... sempre sob supervisão para evitar acidentes.
A etapa mais 'pesada' começa agora: você terá de deixar de trocar a serragem por alguns dias para esta etapa. Espere ao menos 2 dias após a troca da maravalha da gaiola para que esta fique com o odor do chinchila. Troque os chinchilas de gaiola e mantenha-os por 2 dias. Depois destroque e mantenha por 2 dias. Troque novamente e mantenha-os por mais 2 dias. Após estes 6 dias, solte-os juntos. Veja a reação deles. Se for algo positivo, tente colocar os dois numa gaiola só. Se brigarem, separe. Se ficarem bem, deixe-os e os supervisione para que possa separar se necessário.
Troque a maravalha e repita o processo. Você pode fazer várias tentativas desta maneira, até que eles aceitem o companheiro. 
Porém, se mesmo após várias tentativas de troca você não conseguir adaptá-los, como 'tratamento de choque', ao final do sexto dia de troca de gaiolas, esfregue a serragem no corpo de ambos os chinchilas. Se possível aproxime as duas gaiolas ambas com as portas abertas e deixe que os chinchilas explorem a gaiola do outro (impeça que eles saiam fora das gaiolas, pela lateral ou por baixo dar portas, fique com as mãos do lado para evitar fugas).
Se após o tratamento de choque realmente os chinchilas não tolerarem a presença do outro, infelizmente não será possível criá-los juntos. Não é raro acontecer de um chinchila simplesmente não tolerar a presença de outro na mesma gaiola.
Dica: ao tentar juntá-los, nunca coloque um macho na gaiola de uma fêmea mas sim, coloque a fêmea dentro da gaiola do macho pois a fêmea é muito mais territorialista. Durante a fase de trocas de gaiola, se puder tentar juntá-los numa terceira gaiola totalmente neutra, com serragem totalmente limpa, as probabilidades de sucesso na adaptação são maiores.

- Adaptação entre filhote órfão e mãe adotiva: infelizmente pode ocorrer do filhote chinchila perder sua mãe ou a oportunidade de mamar naturalmente, seja por acidente da mãe ou por falta na produção de leite. Deve-se então encontrar uma ama de leite para ele. Caso tenha outra fêmea que tenha dado à luz recentemente, você pode juntá-lo à outra cria, contanto que a mãe adotiva não possua mais de dois filhotes.
Pegue o filhote a ser adotado mais a mãe adotiva e esfregue os genitais de ambos. Caso isto não seja suficiente, pegue a serragem da gaiola da mãe adotiva e esfregue na cabeça, no dorso e na barriga do filhote a ser adotado para que o odor fique impregnado nele. Isto deve bastar para que ele possa juntar-se aos novos irmãozinhos. Caso não tenha uma mãe adotiva para seu filhote e precise recorrer à amamentação manual, consulte mais informações clicando aqui.

>> Clique aqui para ir ao topo da página <<

---------------------------------------------------------------------------------------------

A gestação dura em média 111 dias e em média nascem dois filhotes. Geralmente no início da gravidez, a mamãe chinchila perde peso. Deve ganhar de 10 a 20 gramas por semana nos primeiros 60 dias de prenhez e quando chegar aproximadamente aos 90 dias, deve manter o peso. Nos 21 dias seguintes, o peso final indicará aproximadamente quantos filhotes nascerão:   acréscimo de 80g no peso apresentado aos 90 dias, estimativa de um filhote. Acréscimo superior a 100g, dois filhotes... e superior a 150g, estimativa de três ou quatro filhotes. Mas cuidado! Não a apalpe para tentar ver quantos filhotes são! Isso pode prejudicar o desenvolvimento dos bebês.


A mamãe chinchila possui 6 pares de tetas, 4 produzem leite, porém as 2 superiores são as mais disputadas, pois são as que produzem mais. Por este motivo, quando nasce mais de 2 chinchilas, os outros ficam menores por ficar com as 'piores' tetas. Em certos casos, sob orientação veterinária, será necessário reforçar com alimentação manual (3 partes de água para 1 parte de leite NAN), utilizando uma seringa de 1ml (sem a agulha!) numa temperatura entre 35 e 36 graus celsius. Se houver necessidade de separar o filhote da mãe, caso ela não tenha leite ou esteja ocorrendo brigas feias, deve-se recorrer à amamentação manual. A alimentação deverá ocorrer de 1h em 1h nos primeiros 3 dias (quantia suficiente para saciar o filhote, aproximadamente 0,5ml), de 2h em 2h nos 10 dias seguintes(quantia suficiente para saciar o filhote), de 4h em 4h nos 10 dias seguintes(quantia suficiente para saciar o filhote), e de 6h em 6h nos durante o dia e de 8h em 8h (quantia suficiente para saciar o filhote) durante a noite, até ocorrer o desmame. 

Não prive os filhotes de beberem o primeiro leite, chamado colostro. Se estritamente necessário, reveze os filhotes para que todos tenham a oportunidade de beber o colostro. É muito importante para o sistema imunológico da pequena chinchila. 

O banho da fêmea deve ser suspenso por 10 dias após o parto, que geralmente ocorre nas primeiras horas do dia. O macho deve ser separado logo após o parto pois a fêmea imediatamente entra no cio. Devem ficar separados por 7 dias com as gaiolas bem próximas para não perderem o contato. Depois o macho pode retornar e ele irá ajudar a cuidar dos filhotes. 

Aos 10 dias de idade aproximadamente o filhote começa a beber água e já belisca a ração e a alfafa. Não se esqueça de baixar o bebedouro da gaiola para que o filhote também tenha acesso! Não é porque o bebê está mamando na mãe que ele não precisa beber água... ;-)

Os filhotes devem ser desmamados entre 45 e 60 dias. Um filhote, 45 dias. Dois filhotes, 50 dias, 3 ou mais, 60 dias. Mais tempo do que isso desgasta a fêmea a faz com que ela não produza um bom colostro para a próxima cria. Outro método utilizado para o desmame é aguardar que o filhote atinja o peso   de 220g.

Dica: o ciclo (cio) de uma chinchila é de 28 dias, como a humana. Se não desejar filhotes, faça a tabelinha de sua chinchila! Contando do dia do parto, no 24o. dia (margem de segurança!), separe o macho por 8 dias. E assim sucessivamente: a cada 28 dias a contar da data do parto, separe 4 dias antes do 28o. dia por 8 dias nos meses em que não desejar mais filhotes. Separe-os por no mínimo 3 meses para garantir uma vida mais saudável para a fêmea. Lembre-se que a tabelinha é algo estimado, infelizmente pode ocorrer prenhez, mas conheço pessoas que utilizaram a tabelinha para suas chinchilas por mais de um ano sem ocorrência de prenhez.

>> Clique aqui para ir ao topo da página <<

Imagens da mama da chinchila e amamentando o filhote. 

---------------------------------------------------------------------------------------------

--------------------------------------------------------------------------------------------- 

Diarréia: as fezes das chinchilas sadias são castanho-escuras e firmes. Se as fezes estiverem claras e moles, é hora de tratar a diarréia. Caso tenha oferecido recentemente a ela algum petisco, outro tipo de ração ou outro alimento, suspenda imediatamente a alimentação num período de 12 horas. Retire a alfafa e o suplemento durante o tratamento. Ofereça à ela pão torrado totalmente queimado (preto mesmo, mas espere esfriar, claro!) e não retire a água pois ela precisa manter-se hidratada. Após as 12 horas, aos poucos retorne a ração em pouca quantidade e observe a consistência. Se a diarréia persistir por 24 horas, leve-a ao veterinário. Vale a pena lembrar que nos dias que oferecer frutas frescas à sua chinchila, obviamente a consistência das fezes será diferente dos dias em que a dieta é exclusivamente de alimentos secos, o que não caracteriza uma diarréia.

Giárdia: o primeiro sintoma da Giárdia são fezes cobertas por um muco, seguida de diarréia acompanhada de prostração e perda de apetite. Somente pode ser diagnosticado através de um exame de fezes, chamado Faust, que indica a quantidade de protozoários existentes nas fezes. Estando acima do normal, é necessário medicá-la. Procure um veterinário especializado caso sua chinchila apresente estes sintomas e diga-lhe da suspeita de giárdia. É transmitida através da água contaminada ou das fezes, onde uma chinchila sadia come as fezes da chinchila contaminada. Caso sua chinchila esteja em tratamento de giárdia, outra precaução importante é higienizar a gaiola com um bom desinfetante de uso veterinário, como o Herbalvet.

---------------------------------------------------------------------------------------------

Luxação/Fraturas internas ou expostas: geralmente ocorre nas gaiolas onde o piso, as plataformas e as escadas de acesso às plataformas são engradadas ou quando o chinchila passeia sem supervisão, subindo no guarda-roupa, na porta, nas janelas ou sacadas e saltando para o solo. Quando as gaiolas são totalmente engradadas, o chinchila em seu período de maior atividade pode enroscar as patas traseiras na grade e ao tentar retirá-la ficar preso ou pendurado, fazendo com que o peso do corpo cause uma luxação ou fratura no membro preso. Procure um veterinário imediatamente.

---------------------------------------------------------------------------------------------

Parto Distócico: quando o bebê chinchila não está em posição normal para nascer e a mamãe Chinchila tem dificuldade em dar à luz ao seu bebê. Se o bebê chinchila encontra-se há mais de 15 minutos preso no canal vaginal, procure o veterinário imediatamente. Se não der tempo, lubrifique bem o local com vaselina líquida e ajude a fêmea, empurrando levemente a barriga de cima para baixo e tentando puxar o bebê. Assim que o bebê nascer, se a fêmea não o fizer devido ao desgaste durante o parto, rasgue você mesmo a placenta para que ele respire.

---------------------------------------------------------------------------------------------

Pedras (cálculos) na vesícula urinária: formação de pedras devido ao acúmulo de minerais na bexiga. Cálculos podem causar infecção urinária. Os cálculos podem apresentar-se em vários tamanhos podendo ser previamente identificados através de raio-x ou ultrassonografia, mas os maiores podem obrigar a realizar uma intervenção cirúrgica para serem eliminados. Sintomas: dificuldade ao urinar, urina avermelhada, dores a ponto do chinchila gemer ou gritar de dor, febre, perda de apetite. Causas: predisposição genética e alimentação inadequada, excessivamente rica em Cálcio. A seguir, imagens de cálculo na bexiga:

Este Raio-X indica a presença de cálculos na bexiga. 

O tamanho e a quantidade assustam: 3 pedras de aproximadamente 7,5 mm. 

--------------------------------------------------------------------------------------------- 

 

This free website was made using Yola.

No HTML skills required. Build your website in minutes.

Go to www.yola.com and sign up today!

Make a free website with Yola